23 maio 2006

Das Rheingold


Einzug der Götter in Walhall (Entrada dos deuses no Valhala) da ópera Das Rheingold de Wagner

A propósito da divulgação de mais um espectáculo musical, desta vez a exibição da ópera Das Rheingold de Wagner, no Teatro Nacional de S. Carlos em Lisboa, resolvemos falar-vos sobre aquele compositor e sobre o ciclo de óperas ao qual Das Rheingold pertence.
Como sabem, R. Wagner foi um importante compositor alemão do período do romantismo que introduziu na ópera o conceito de leitmotif, ou seja, a associação de uma determinada melodia/harmonia a uma/várias personagens.

Poderão ler aqui, mais informações acerca da vida e obra de Wagner e aqui acerca de Bayreuth, um teatro especialmente concebido por Wagner, onde anualmente se realiza um importante festival de ópera.

Estão a ouvir Einzug der Götter in Walhall (Entrada dos deuses no Valhalla), um quadro da 4ª cena da ópera Das Rheingold. Como já referimos, ela faz parte de um grupo de 4 óperas, geralmente denominadas como A Tetralogia ou O Anel dos Nibelungos e que inclui as seguintes óperas, por ordem cronológica do enredo: Das Rheingold (O Ouro do Reno), Die Walküre (As Valquírias), Siegfried e Götterdämmerung (O Crepúsculo dos Deuses).

É a primeira destas óperas, Das Rheingold, que o Teatro Nacional de S.Carlos vai apresentar nos próximos dias 28, 29 e 30 de Maio e 1,2,3 e 4 de Junho.
Poderão ler aqui mais detalhes acerca desta ópera e do seu enredo.

Um post sobre Wagner, nomeadamente um post que inclua a peça que têm estado a ouvir, é muito adequado para falarmos acerca de dois naipes da orquestra: os sopros de madeira e os sopros de metal. Com efeito, na música deste compositor os sopros possuem uma importância fundamental. Wagner inventou mesmo um novo instrumento destinado às suas óperas, o qual é normalmente conhecido por tuba wagneriana.

De uma orquestra sinfónica ou filarmónica fazem parte os seguintes instrumentos destes naipes:

Sopros de madeira (do mais agudo para o mais grave)
Flautim, Flauta transversal, Oboé, Clarinete, Corne Inglês, Fagote e Contra Fagote.

Sopros de metal (do mais agudo para o mais grave)
Trompete, Trompa, Trombone e Tuba.

No início da peça, são muito fáceis de reconhecer os sopros de metal. Mais ou menos a meio, surgem os sopros de madeira que predominam durante algum tempo, até ao regresso dos metais, em fortíssimo, que a concluem.
Este tipo de peças caracteriza-se por ser construído da seguinte maneira: dois terços da peça correspondem a uma preparação para o auge e o terço final constitui o auge e o respectivo declínio. Esta estrutura, a chamada regra de ouro, basea-se no modelo matemático de Fibonacci que tem sido muito falado ultimamente, a propósito do livro e do filme O Código da Vinci.

18 Comments:

Blogger wind said...

Fabuloso! beijos

23/5/06 19:59  
Blogger Aspásia said...

Hallo Viktor e Pamina

Ah, já me sinto uma Valquíria cavalgando pelo Walhalla nas asas desta magnífica música!
A beleza e a harmonia
são sempre, não as Valquírias mas as Musas deste vosso Walhalla musical, onde vem repousar os guerreiros(as) cansados das caminhadas bloguistas!:)

Beijinhos para ambos.

24/5/06 01:59  
Blogger Aspásia said...

V.

Faltou o ^ em "vêm"...
E eu vou-me à meritória actividade que ambos gostamos muito...;>

Aufwiedersehen/hören...

24/5/06 02:07  
Blogger manuel said...

Finalmente um blog sobre Boa Música!
E até se aprende. E até dá notícias!
Fiquei muito agradado com a lição sobre os instrumentos de sopro.
Infelizmente sou um "nabo" a linkar, portanto ficam linkados nos meus favoritos.

24/5/06 18:59  
Anonymous Ni said...

Ora aí está como num único post se consegue ensinar,viajar,informar!
Estéticamente só não gostei das cores das flores que escolheram para o jardim do teatro do Wagner!!!
E pronto,quem me ler e não tiver visto tudo com atenção vai ter que lá voltar e portanto...quanto mais se lê mais se aprende...é o que vou fazer agora pois a primeira visita foi muito rápida.
Um beijo para os dois.

24/5/06 22:54  
Blogger viktor said...

Wind,
É assim a grande música de Wagner.
Bjs.

Aspásia,
Olá Valquíria saltitante. Esta música consegue-nos mesmo transportar para o mundo fantástico dos dragões, anões, etc. que habitam a obra de Wagner.
Obrigado também pela errata :))

E como gostas muito de línguas, with a little help from my friends :))), aqui vai uma mensagem em Holandês:
Goede nacht en welterusten
(ruianagt ene veltruzte(n) <-parc. comido)
Bjs.

Manuel,
Muito obrigado pela visita. É mesmo essa a nossa filosofia. Apresentar boa música e ensinar um aspecto de uma forma simples.
Até breve.
Um abraço.
P.S. Se quiser, ensino-o a fazer links no seu blog.

Ni,
Depois de tantos anos, as cores já não são o que eram :)))
E já agora, não te esqueças de estudar os instrumentos de sopro, pois vão sair na prova global!
Bjs.

24/5/06 23:50  
Blogger Aspásia said...

Olá Viktor

De facto gosto muito de línguas... e há tempos revi uns pequenos apontamentos de holandês mas que se resumem aos números até dez e a umas palavras que transitaram bilateralmente entre as duas línguas, eis 3 ex: arcabuz (P.) -> haakbus (H.).
bosjesman -> bosquímano.
bacalhau -> kabeljawk.

Agora com o "welterusten" é que fiquei à rasca... assim de repente parece-me "mundo ferrugento"...;)) mas amanhã decifro melhor...

Schlaf gut!!

25/5/06 03:02  
Blogger b' said...

olá,

mais um post didáctico :)
aprender sempre!
gosto muito de metais, em especial do clarinete

não sei porquê lembrei-me do "pedro e o lobo" do prokofiev

bjs
@:)

25/5/06 16:14  
Blogger Pamina said...

Aspasia,

Também acho engraçado comparar palavras que passaram dumas línguas para outras.
O arcabuz é curioso. Não sei se foram pela fonética ou pelo significado. Os sons são parecidos. "Haak" quer dizer gancho e "bus" (actualmente, pode ser uma lata de conserva, um autocarro, uma urna onde se põem os votos ou uma caixa de donativos)penso que tem que ver a palavra "buis" que quer dizer cano, conduta.
Bacalhau escreve-se assim: "kabaljauw".

Quanto ao "welterusten":), a palavra é composta por "wel" "te" e "rusten". Agora já deves estar a perceber melhor.
wel=well
te=to
rusten=rest
É o que se diz antes das pessoas irem para a cama (dormir, eheheh).

Um bj.

25/5/06 20:19  
Blogger viktor said...

Olá B',
Aqui há sempre qualquer coisa para aprender:))
A propósito, o clarinete é um instrumento de madeira (e não de metal). O corpo é geralmente de ébano. A parte metálica chama-se "chaves", ou seja todo o mecanismo que permite ao executante fechar os orificios.

Pedro e o Lobo é uma das obras didácticas acerca dos instrumentos de orquestra. Pessoalmente, prefiro o Carnaval dos Animais ou The Young Person's Guide to the Orchestra do compositor inglês Benjamin Britten.
Bjs.

25/5/06 22:53  
Anonymous IO said...

Tinha lido no 'Expresso' a temporada no São Carlos.

Grandiosa, esta obra!! - melhor ainda ler e aprender convosco, obrigada e um beijo!

25/5/06 23:44  
Blogger Aspásia said...

Goed Nacht, mooi Vriendin Pamina!

Hoe gaat het ermee?

Isto é que vai uma Babel por estes blogs... assim é que é giro, vamo-nos divertindo e ainda por cima aprendendo ou relembrando línguas...

Vou tentar mandar-te por mail o original daquelas "Flying Dutch Words" para português. Era um concurso etimológico duma dessas Expolínguas.

Dank u wel.
Tot ziens! Kus!

26/5/06 00:34  
Blogger b' said...

viktor,

desculpa, pelos vistos não estive atenta à lição :((
é a força do hábito ;)

o pedro e o lobo era um dos meus discos preferidos de criança
eu e o meu irmão ouviámo-lo deliciados

o carnaval só conheci aqui no vosso blog e o guide não conheço :(


pamina e aspásia

deviam fazer um workshop dedicado às línguas do mundo e as suas correspondências

ou um blog, quem sabe ;)

beijinhos
@:)

26/5/06 10:11  
Blogger dakidali said...

Smpre 5 estrelas estes posts.
Beijinhos aos dois.
Obrigado pelas visitas assiduas ao meu blogue, Viktor, fico muito contente.

26/5/06 14:21  
Blogger viktor said...

Io,
Parece que finalmente há uma divulgação deste tipo de eventos na nossa imprensa.
Bjs.

Aspásia,
Obrigado pelo mail linguístico.
Bjs.

B',
Andavas distraída... Vais ter que fazer trabalhos de casa extra :))) Olha que vem aí o exame final :)
Bjs.

Dakidali,
Eu é que agradeço "as visitas assíduas" aqui no BonaMusica!
Bjs.

Bom fim de semana para todos.

27/5/06 15:03  
Anonymous Anónimo said...

Desta gosto bastante e de ópera em geral também. Pena é que para só cheguem normalmente às grandes cidades, neste caso a Lisboa e de vez em qunado ao Porto. Nós os que vivemos "na província" raramente somos premiados com a possibilidade de a elas assistirmos.
Por isso mesmo ainda bem que há blogs como o vosso; sempre podemos pelo menos ouvir e conhecer a obra de compositores tão brilhantes como Wagner. Mais uma vez OBRIGADA.
Bjs Lena

27/5/06 15:37  
Blogger mtc said...

Olá Pamina e Viktor

Passei para vos desejar uma óptima semana e com tudo de bom ...hoje e sempre :)
Beijinho e abraço

29/5/06 00:59  
Blogger AA said...

um outro episódio

7/6/06 16:55  

Enviar um comentário

<< Home