01 setembro 2005

O Sousafone, a Tinhosa e o Lingrin

O nosso primeiro post depois das férias, é dedicado a todas as Bandas Filarmónicas que nesta época estival abrilhantam, um pouco por toda a parte, as festas nas vilas e aldeias. A maior parte destas bandas sobrevive apenas à custa de grande sacrifício pessoal e carolice dos seus membros. Todos eles, inclusive o maestro, recebem remunerações meramente simbólicas. Pode-se dizer que são um género de Bombeiros Voluntários da Música.

A Tuba e o Sousafone


O Sousafone é um instrumento de sopro de metal adaptado da tuba. Assim, iremos primeiro falar acerca deste instrumento.
A primeira tuba, propriamente dita, foi construída em 1835 por um alemão. Alguns anos mais tarde, apareceram instrumentos mais graves, de grandes dimensões, tendo o maior quase 2,5 m de altura e um tubo com cerca de 14 m de comprimento.
Devido ao enorme peso do instrumento, surgiu seguidamente uma tuba de marcha, com o pavilhão voltado para a frente e não para cima, que permitia a utilização por músicos de bandas tanto a pé como a cavalo.
A fim de obstar ao problema do tamanho, foram também criados, nomeadamente na Rússia, instrumentos com um tubo circular que passava à volta do corpo do executante. Em 1849, um construtor de Viena, baseado neste mesmo modelo, criou um instrumento denominado Helicon (do grego helikos=enrolado).


De acordo com as instruções do compositor luso-americano John Philip de Sousa, foi desenvolvido, no início do século XX, um instrumento baseado no Helicon que viria a chamar-se Sousafone, em homenagem a este popular compositor e regente de banda. O Sousafone possui um pavilhão destacável de grandes dimensões e é fácil de transportar enquanto se toca, pois enrola-se à volta do corpo. Tornou-se assim muito apreciado para a execução em marcha e é hoje considerado o instrumento americano de banda mais típico.

Fazem parte do reportório de muitas bandas filarmónicas as aberturas de duas óperas de Wagner, Tannhäuser e Lohengrin. Uma vez que estas palavras são difíceis de pronunciar, muitos músicos de bandas crismaram-nas afectuosamente com os nomes de Tinhosa e Lingrin.
A marcha The Stars and Stripes Forever de John Philip de Sousa é conhecida como a marcha das Tripas a Ferver. Clique aqui, para ouvir:

Pensamos que Wagner e J.P.Sousa estariam de acordo :)

15 Comments:

Blogger Eterna Descontente said...

Muito interessante o vosso post.
Gostei, particularmente, da “Tinhosa”.Coitado do Wagner, se soubesse, fartava-se de dar voltas na sepultura!

2/9/05 00:53  
Blogger Amélia said...

QUE BOM ESTRE REGRESSO DE FÉRIAS - SEMPRE F«´GOSTEI DAS BANDAS - E, COMO CANTAVA O CHICO, DE VER A BANDA PASSAR/TOCANDO COISAS DE AMOR...

2/9/05 08:08  
Anonymous IO said...

Um abraço no regresso, eis o que vos deixo!, IO.

2/9/05 12:02  
Blogger JMTeles da Silva said...

Gostei destas pérolas de cultura. Abraço e sejam bem voltados.

2/9/05 12:16  
Anonymous Mi said...

Tinhosa e Lingrin?
Tripas a Ferver?
Converteram-me! A partir de agora... só Bandas Filarmónicas!

2/9/05 16:00  
Blogger Pamina said...

Obrigada a todos pelas visitas.
Mi, obrigada também pela link.

Acho que o Wagner era capaz de achar ternurentos estes nick-names:)

(Este assunto foi abordado numa comunicação sobre bandas filarmónicas apresentada, há alguns anos atrás, nos Encontros de Musicologia da Associação Portuguesa de Ciências Musicais.)

2/9/05 18:45  
Blogger andorinha said...

Gostei do post.
Tinhosa e Lingrin? Tripas a ferver?
É preciso ter uma imaginação fértil.:)

2/9/05 21:55  
Blogger wind said...

Bem voltados:) Gostei desta informação no post;) Beijos e bom fim de semana*

2/9/05 22:10  
Blogger Lina said...

Sejam bem vindos..., e as férias foram boas?
Outro post de grande interesse, como é habito.
beijinhos

3/9/05 02:00  
Blogger Mitsou said...

Bem voltados! Já me sentei, para o recomeço das aulas de música :) Beijinhos doces para os dois!

3/9/05 14:03  
Blogger Menina_marota said...

Olá!!

Então já regressaram de férias??

Adorei ler o teu Post e o elogio que fazes às Bandas... pois é bem merecido!

Um abraço aos dois :)

6/9/05 11:58  
Blogger trintapermanente said...

e ca estou eu, a ver se aprendo qq coisa :)

7/9/05 12:29  
Blogger Vera Cymbron said...

Uma bonita homenagem as filarmónicas. Cá na terra tenho uma muito grande, que gosto de ouvir aos serões na praça principal. É sempre bom ouvir boa música, eles tocam mesmo bem. Estão de viagem para Lisboa para um intercâmbio.
Jinho e muito obrigada pela visita. Sê sempre benvindo!

8/9/05 09:27  
Blogger HarryHaller said...

Gostei do vosso post, pelo interesse do seu conteúdo, contudo, se me permitis, falta a alusão a um artefacto que está sempre associado às bandas filármónicas, é isso mesmo, "o velho coreto" que na localidade onde resido foi retirado, ficando a respectiva banda viuva.

9/9/05 16:53  
Blogger Elvira Bill said...

Este John Felipe de Sousa não é o autor do nosso hino? Ou estou a confundir, que eu de hinos não pesco nada.

Bem vindos, Pamina e Vicktor:
Bom fim de semana.

9/9/05 21:10  

Enviar um comentário

<< Home