13 junho 2005

In Memoriam: Eugénio de Andrade (1923-2005)

Apesar deste blog ser, em princípio, apenas dedicado à música, não quisemos deixar de nos associar à homenagem de outros bloggers, deixando aqui este poema acompanhado pela magistral guitarra portuguesa de Carlos Paredes.


As Palavras

São como um cristal,
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.
Outras,
orvalho apenas.

Secretas vêm, cheias de memória.
Inseguras navegam,
barcos ou beijos
as águas estremecem.

Desamparadas, inocentes,
leves.
Tecidas são de luz
e são a noite.
E mesmo pálidas
verdes paraísos lembram ainda.
Quem as escuta? Quem
as recolhe, assim,
cruéis, desfeitas,
nas suas conchas puras?

Eugénio de Andrade

5 Comments:

Blogger RC said...

Tropecei por aqui e por cá voltarei a passar. A música consegue sempre levar-me mais além.

Nota ao post: Se não me engano, o Coro de Câmara de Lisboa já realizou actuações com base em algumas obras de Eugénio de Andrade.

13/6/05 20:24  
Blogger Mitsou said...

E mais palavras para quê? Um beijinho muito grande pela magnífica combinação.

13/6/05 20:29  
Blogger RC said...

Ver:
http://neptune.microeuropa.pt/~cmtweb/prenda/an_sinopse.php

Pag 18 de http://www.aac.uc.pt/cabra/impresso/20032004/pdf/106.pdf

13/6/05 20:33  
Blogger Pamina said...

Mitsou,
Obrigada pelas tuas palavras. Um beijinho também para ti.

13/6/05 22:26  
Blogger viktor said...

Caro Rodrigues Cunha,

Obrigado pelos seus links. Vou colocá-los aqui já feitos, para que seja mais fácil consultar.

Sinopse do espectáculo Uma prenda para Eugénio de Andrade

Artigo (ver pág.18) da Revista Cabra sobre o espectáculo Una prenda para Eugénio de Andrade

13/6/05 22:36  

Enviar um comentário

<< Home